Fenologia-Mudanças que ocorrem nas plantas-(Requisitos)

A fenologia é uma das partes da ciência que mais influencia as mudanças nas plantas e nos animais, relacionando o clima com a sua reprodução, migração, etc.

O que é fenologia vegetal?

A fenologia vegetal estuda as mudanças que nela ocorrem, relacionadas às mudanças climáticas.

É importante observar portanto:

  • Calendários agrícolas.
  • Considere as necessidades climáticas de cada cultura.
  • Avalie o clima da área.
  • Planear a actividade agrícola.

Fundamentalmente, a fenologia influencia:

  • A dormência ou período em que os botões ficam dormentes.
  • Desenvolvimento de brotos e aparecimento de botões.
  • A floração.
  • Polinização de flores.
  • Frutificação.
  • Desenvolvimento e amadurecimento dos frutos.
  • Essas alterações dependem do estado fenológico anterior e posterior.

Fenologia em dormência

A árvore entra gradualmente no período de dormência no final do outono. Dura desde que a temperatura não ultrapasse os 7,2ºC e haja poucas horas de luz.

Neste período podemos observar que:

  • A capacidade dos processos biológicos é reduzida.
  • O crescimento dos botões é minimizado.
  • Respiração diminui.
  • A atividade enzimática é reduzida.
  • Aumenta o amido.
  • Em algumas plantas as folhas caem.

Influência da fenologia nos brotos

Os rebentos brotam no final das horas frias para dar origem a um novo rebento, quando termina o repouso invernal e as temperaturas começam a ser amenas.

As horas frias estabelecem o período de acúmulo de baixas temperaturas pela planta, o que indica a data de saída da dormência.

Plantae oferece a possibilidade de contá-lo com a estação Meteo.

O fim do número de horas frias marca o início dos surtos. Se for muito cedo corremos o risco de a floração sofrer geadas tardias. As flores também podem ser danificadas por geadas inesperadas, mesmo quando o botão está na estação ideal. As videiras e amendoeiras sofrem frequentemente deste problema em algumas áreas.

Acompanhando o início da brotação conforme o desenvolvimento da célula-mãe ou meristema, aparecem os botões que darão origem às flores, folhas e ramos.

Esses botões são para o ano seguinte, ou seja, as flores e folhas virão de um botão que se formou no ano anterior e que acumulou as horas de frio necessárias.

Tipos de gemas

As gemas podem, portanto, ser:

  • Frutífero ou florido.
  • Vegetativo.

Em algumas plantas o botão floral aparece primeiro e em outras as flores vegetativas como o marmelo e a videira aparecem primeiro.

Yema apical de pistacho- La fenología estudia las horas de frio de la planta
A fenologia indica as horas de frio que fazem aparecer os primeiros botões apicais do pistache.

Floração

A floração é o processo que leva à formação da flor e ao seu desenvolvimento total. Eles são formados a partir do desenvolvimento de meristemas apicais.

Controlar a irrigação com sensores é muito importante porque a planta necessita de muitos nutrientes e não sofre estresse hídrico.

Tipos de flores:

  • Hermafroditas: quando a flor possui a parte feminina (pistilo) e a masculina (estame). É a flor perfeita. Exemplos, macieiras, frutas cítricas, tomates, etc.
  • Monóica: quando a planta possui flores femininas e masculinas como milho, trigo, etc.
  • Dióica: quando as flores masculinas estão na árvore masculina e as flores femininas estão na árvore feminina, como pistache e kiwi, etc.
Frutal en flor con caudalímetro en el riego
Árvore frutífera em flor com irrigação controlada por sensores de umidade – Geadas tardias prejudicam a floração

Polinização

É o processo pelo qual o pólen passa do estame ao estigma, onde fertiliza os óvulos da flor. A partir desse momento inicia-se a formação do fruto e também das sementes.

A polinização é realizada por vetores de polinização como pássaros, insetos, água e vento. Em alguns casos, vários desses fatores influenciam. No caso do pistache, por exemplo, o melhor é o vento e um bom planejamento das árvores machos da fazenda.

As tempestades de primavera podem arruinar a polinização.

O fruto

É a transformação da flor na parte comestível da planta. Origina-se do pistilo da flor. O ovário dá origem à casca do fruto. Depende do clima e de cada planta.

As horas de controle de calor e umidade influenciam o desenvolvimento.

Nogal con nueces en su desarrollo
Nogueira em pleno desenvolvimento de frutos

Maturação

As fases de floração, frutificação e maturação dependem das horas de calor.

Com a Integral Térmica é definida a disponibilidade de calor para o desenvolvimento e maturação das espécies vegetais.

Plantae Meteo oferece-nos a possibilidade de contá-la, para prever a cada momento quando a planta tem graus acumulados suficientes acima da temperatura limite de cada espécie, e a colheita pode começar.

La fenología indica la integral térmica del Mandarino-fruta madura
Mandarim – a fenologia estuda a integral térmica e o momento de maturação

Plantae especialista em fenologia e irrigação

A tecnologia Plantae é sem fio, controlando a fenologia das suas culturas e aumentando a qualidade e a produtividade através de:

  • Sensores/sondas de umidade, temperatura e condutividade do solo.
  • Medidor de vazão.
  • Pluviômetro, controlando umidade relativa, temperatura ambiente.

Tudo isso sem fio e controlado por um Hub/receptor com painel solar que envia informações para uma plataforma online para que o agricultor tenha dados gráficos em seu celular ou tablet em tempo real.

Gráfico para controlar la fenología
Gráfico para controle da fenologia
Estación Plantae Meteo
Estação Meteo Plantae em vinhedos controlando as horas de frio e a integral térmica

Tabela aproximada de exigências de temperatura para os diferentes estados fenológicos em algumas culturas controladas por Plantae

AmendoeiraTemperatura
Horas frias (HF)200 a 550 horas
Abrolhamento e floraçãoDe 7º a 10ºC
CrescimentoEntre 20º e 25ºC
Integral térmica entre botão inchado e colheita1000 a 1200 horas
Danos tardios às flores por geada Abaixo de -1ºC
Pistache 
Horas frias (HF)De 600 a 2000 horas no máximo
Abrolhamento e floraçãoDe 7º a 15ºC
CrescimentoEntre 20º e 25ºC
Integral térmica entre botão inchado e colheita3000 a 3500 horas
Danos tardios às flores por geadaAbaixo de -1,5ºC
 Videira 
Horas frias (HF)De 150 a 400 horas
Abrolhamento e floraçãoDe 7º a 15ºC
CrescimentoEntre 20º e 25ºC
Integral térmica entre botão inchado e colheita2000 a 3500 horas
Danos tardios às flores por geadaAbaixo de 0ºC
 Aguacate 
Horas frias (HF)300 a 450 horas
Abrolhamento e floraçãoDe 14º a 24ºC
CrescimentoEntre 25º y 35ºC
Integral térmico entre gema inchada e colheita1250 a 3250 horas
Danos tardios às flores por geadaAbaixo de -1ºC

Fontes

Plantae

Você está procurando informações especializadas?

Entre em contato agora gratuitamente e sem compromisso com nossa equipe de Engenharia Agronômica