Irrigação por aspersão – A MELHOR irrigação técnica ou pressurizada COM SENSORES – (V)

Neste artigo começamos com um estudo detalhado da irrigação por aspersão, dentro dos métodos de irrigação mecanizada ou pressurizada que continuaremos a desenvolver para aconselhar sobre a importância de decidir por um bom sistema de irrigação.

Irrigação mecanizada ou pressurizada

Pivot en alfalfa
Riego con pivot en alfalfa controlado por sensores de humedad

São eles que precisam de um mecanismo que gere pressão para movimentar a água, a menos que o tanque seja mais alto que os sprinklers.

Pode ser:

  • Pulverizando:
  • Estacionário.
    • Movimento contínuo.
    • Ramos deslocáveis.
    • Aspersor gigante.
    • Sistemas de irrigação mecanizados lineares.
  • Por gotejamento.
    • Instalação aérea.
    • Gotejamento enterrado.

O que é irrigação por aspersão?

É um método de irrigação em forma de chuva, que visa irrigar toda a parcela infiltrando a água com a intensidade considerada adequada.

Características gerais da irrigação por aspersão:

  • O terreno não precisa ser nivelado.
  • Pode ser regado com a terra recém plantada.
  • Não provoca erosão do solo se a pressão da água for suave e a irrigação for na forma de chuva fraca.
  • Nenhum deslizamento de terra ou sementes são causados.

Tudo isso desde que o sprinkler seja adequado.

Se quisermos que a emissão de água seja muito fina, usaremos microaspersores que podemos regular com a pressão adequada. Dependendo de como regulamos essa pressão, podemos regar com microgotículas, gotas muito finas em forma de spray. Hoje em dia é amplamente utilizado em estufas e viveiros para manter o nível de umidade no ambiente.

Riego por aspersión
Irrigação por aspersão. 1-Altura do tanque superior ao solo, não necessita de bomba. 2-Altura do depósito inferior ao nível do solo. 3-Bomba de água. 4-Aspersores. 5-solo e bulbo úmido.

Vantagens:

  • Adapta-se às diferentes doses de irrigação necessárias.
  • Não é necessário nivelamento. Geralmente facilita a mecanização.
  • Fácil de automatizar.
  • Geralmente permite tratamento com fertilizantes, produtos fitossanitários e controle antigelo.
  • Eles economizam tempo e energia.
  • Adaptam-se a declives ligeiros.
  • Mão de obra escassa.
  • Eles podem ter diferentes pontos de entrada de água.
Distribución de los goteros
1-Distribuição dos gotejadores. 2-Mangueira principal. 3-Mangueira e emissores secundários. Eles podem ser enterrados para evitar que perturbem o arranjo da cultura.

Desvantagens:

  • Pode prejudicar alguns tratamentos se você não tomar cuidado com sua programação.
  • Má uniformidade na distribuição devido a ventos fortes.
  • Alto custo inicial de investimento, manutenção e operação (energia) se não for bem projetado.

Tipos de sistemas de irrigação por aspersão

  • Estacionários: não necessitam de suporte, basta carregar o tubo com as válvulas e emissores.
    • Móbiles semifixos: tubo móvel (manual ou motorizado).
    • Fixo
      • Tubo fixo.
      • Fixo e enterrado (cobertura totalmente enterrada). O emissor também pode ser enterrado ou não.
      • Temporário onde a cobertura é totalmente aérea.
  • Rolagem contínua:
    • Ramos móveis:
      • Pivô ou pivô (movimento circular).
      • Aspersor gigante: lado de avanço frontal.
      • Da asa ao carro.
  • Aspersor gigante.
    • De canhões itinerantes.
    • Enrolando armas.
Riego por aspersión con bombaa
Esquema de pulverização da bomba. 1 depósito. 2-Bomba. 3-Mangueira principal. Mangueira de 4 secundários. 5-Aspersores e emissores. 6-Bulbo úmido. 7-Acumulação de sais controlada por sensores/sondas..
sensores/sondas de humedad
Irrigação por aspersão com sondas. 1-Aspersor/emissor. 2-Sensores/sondas de umidade. 3-Bulbo úmido. 4-Acúmulo de sais.

Equipamento mecanizado de irrigação por aspersão com equipamento linear de alimentação frontal irriga grandes quantidades de hectares de culturas, especialmente cereais, vegetais e pastagens em todo o mundo.

Controle de sensor de irrigação por aspersão

Os sensores/sondas de umidade, temperatura e condutividade no solo resolvem todos os problemas de controle de irrigação do solo.

Instalados em diferentes profundidades, indicam em tempo real a necessidade de irrigação, a temperatura do subsolo e o possível acúmulo de sais.

Os sais acumulam-se por sedimentação na parte inferior e por evaporação do solo na parte superior do bulbo úmido, influenciando negativamente a cultura, principalmente na absorção do sistema radicular.

Os sais acumulados ficam compactados e prejudicam a absorção de nutrientes.

Como o controle da umidade é feito em tempo real, esse acúmulo de sais diminui, pois a planta tem sempre a água que necessita e absorve os nutrientes para o seu perfeito desenvolvimento.

Fonte

Plantae AGRO

Plantae

Você está procurando informações especializadas?

Entre em contato agora gratuitamente e sem compromisso com nossa equipe de Engenharia Agronômica