Irrigação por gotejamento – Melhor controlada com sondas, superficiais ou enterradas – (VI)

Dentre os métodos de irrigação mecanizados ou pressurizados, destaca-se a irrigação por gotejamento superficial, principalmente para culturas intensivas e superintensivas.

A irrigação mecanizada é aquela que requer um mecanismo que gera pressão para movimentar a água, a menos que o tanque seja mais alto que os gotejadores e eles sejam de tamanho pequeno.

O que é irrigação por gotejamento superficial?

A irrigação por gotejamento é chamada assim porque a água corre por um cano e por um pequeno furo distribui a água para a planta em forma de gotas. Fertilizantes incorporados na água de irrigação também podem ser administrados.

No gotejamento, você pode controlar a quantidade e o momento da irrigação conforme necessário. A distribuição é feita através de uma rede de tubos de condução em PVC ou Polietileno. De cada uma podemos retirar mangueiras de irrigação laterais com gotejadores. Esses gotejadores formam um pequeno acúmulo de solo úmido próximo à planta que devemos controlar em profundidade para ver se cobre todo o sistema radicular.

Portanto, o número de gotejadores vai depender do tipo de terreno e do tipo de cultivo, também do tamanho do sistema radicular da planta, incluindo o crescimento dessas raízes à medida que a planta cresce.

Esse acúmulo de água em forma de saco é conhecido como bulbo úmido.

Esquema de riego por goteo superficial
Esquema de irrigação por gotejamento superficial. 1-Tanque de água. 2-Bomba. 3-Mangueira principal. 4-Terreno livre. 5-Molhe bulbos ao redor do gotejador. 6-Acúmulo de sais. Mangueira de 7 lados com gotejadores. 8-Mangueira secundária. 9-Sensores/sondas de umidade, temperatura e condutividade.

Tipos de bulbos úmidos

Os tipos de bulbos úmidos dependem do terreno e da quantidade de gotejadores.

Em árvores jovens com sistema radicular pequeno, um gotejador pode ser alcançado.

Se a árvore for grande e tiver sistema radicular maior, é aconselhável colocar dois gotejadores mais afastados.

Podemos ver isso nos diagramas a seguir.

Você também pode colocar uma mangueira em volta da árvore com vários gotejadores. À medida que a árvore cresce, seu sistema radicular aumenta e os gotejadores devem ser retirados do tronco da árvore.

Dependendo do tipo de sola, também podemos ter diferentes bulbos úmidos. As áreas arenosas são mais alongadas e a água dispersa pára ou diminui facilmente. Por estarem mais sedimentados, os bulbos ficam mais achatados e apresentam maior alagamento da falésia.

Faça a composição de apenas dois pontos-chave para irrigação por gotejamento, devido à influência do bulbo úmido e do desenvolvimento radicular da planta. Se as raízes não estiverem umedecidas, tente alongá-las dependendo do tipo de terreno.

Solos agrícolas - Tipos de terrenos com bulbo úmido e salinidade
Solos agrícolas-1-Terra nua. 2-Terreno arenoso. 3- Somente argila. 4-Sensores (sondas) de umidade, temperatura e condutividade em diferentes profundidades. 5- Lâmpada úmida. Poucos sais devido à lavagem. 6- Leve acúmulo de sais. 7-Alto acúmulo de sais.

Salinidade na irrigação por gotejamento superficial

Um dos problemas da irrigação por gotejamento superficial é o acúmulo de sais ao redor do bulbo úmido. Como a planta necessita de mais água, seja pelo tipo de planta ou pelo clima da região ou pelo tipo de cultivo, intensivo ou superintensivo, pode ocorrer o problema de acúmulo de sal.

Já dedicamos um artigo à salinidade e à dependência deste problema do tipo de água de irrigação. Por esta razão e por se tratar de um problema que não é visível, somos obrigados a recorrer à medição de humidade e salinidade com sondas ou sensores agrícolas de humidade e condutividade.

Vantagens da irrigação por gotejamento superficial

A irrigação por gotejamento superficial tem vantagens importantes a serem consideradas:

Riego por goteo en almendros
Irrigação por gotejamento controlada por sensores/sondas de umidade e temperatura em amendoeiras
  • É muito eficaz e econômico. Água e energia são economizadas.
  • Muito vantajoso em plantações jovens com sistema radicular pequeno.
  • Os fertilizantes podem ser aplicados sempre que apropriado.
  • É fácil de reparar porque os gotejadores são visíveis.
  • Não depende do tipo de piso para sua instalação.
  • É recomendado em solos pedregosos porque evita perfurar o terreno para instalá-lo.
  • Adapta-se a todos os tipos de terreno.
  • Evite o crescimento excessivo de ervas daninhas, pois regamos ao pé da planta e o gotejamento é introduzido em forma de saco, sendo pouco visível do exterior.
  • Tem menos evaporação do que com irrigação por aspersão, mas mais do que com gotejamento enterrado.
  • Não é afetado pelo tempo ventoso. A mangueira fica nivelada com o solo e pode até ser ancorada no solo, como podemos ver nas imagens.

Desvantagens

  • Temos que movimentar as mangueiras nos primeiros anos de plantio à medida que o sistema radicular aumenta, principalmente nas lenhosas.
  • É chato na hora de limpar a plantação e colher porque as mangueiras atrapalham as máquinas.
  • Você não consegue ver a profundidade que o bulbo úmido atinge.
  • Tem mais evaporação que o enterrado.

Importância das sondas na irrigação por gotejamento superficial

As sondas (sensores) instaladas em diferentes profundidades indicam em tempo real a profundidade do bulbo úmido e a tendência condutiva do solo, o que indicará se há ou não excesso de sal, com o correspondente prejuízo na absorção de água do solo .plantar. Os sais tendem a compactar e impedir que as raízes tenham acesso fácil à água e aos nutrientes.

As sondas de umidade nos dirão a todo momento quanta água tem o subsolo e daremos à planta a água que ela precisa e quando ela precisa.

Para controlar a irrigação e as necessidades das plantas, as sondas são essenciais. Se não medirmos a umidade e a tendência condutiva, não controlamos a produção e a qualidade da colheita.

A irrigação gota a gota subterrânea é outra variante dos métodos de irrigação aos quais dedicamos esta série de artigos com o objetivo de informar todos os nossos clientes e seguidores.

O que é irrigação por gotejamento enterrado?

É um arranjo de mangueiras subterrâneas que irrigam a cultura por gotejamento localizado e, portanto, diretamente no sistema radicular, desde que o desenho esteja de acordo com a cultura. Necessita de um bom esquema de irrigação e de um sistema de bombeamento de qualidade.

Riego por goteo enterrado
Irrigação por gotejamento enterrada. 1-Tanque de água. 2-Bomba. 3-Tubo principal. 4-Terreno livre. 5-Bulbo úmido de cada gotejador. 6-Sais acumulados por evaporação. 7-Tubos enterrados. 8-Altura dos tubos em relação à superfície. 9-Sonda de umidade. Sonda de 10 condutividade.

Vamos desenvolver as vantagens e desvantagens deste tipo de irrigação subterrânea por gotejamento.

Vantagens

  • A principal vantagem em relação à irrigação por gotejamento superficial é que os tubos não atrapalham durante a execução dos trabalhos agrícolas.
  • Outra vantagem a destacar é que o bulbo úmido é subterrâneo e há muito menos evaporação e, portanto, menor acúmulo de sais, dependendo basicamente da qualidade da água.
  • Não aparecem tantas ervas daninhas porque a irrigação é muito localizada e por não ser superficial, as gramíneas com poucas raízes não têm umidade para sobreviver.
  • A altura das mangueiras depende do tipo de cultura, variando entre 20 centímetros e 50 centímetros dependendo se se trata de culturas hortícolas ou lenhosas.
  • A irrigação é muito localizada no sistema radicular da planta, o que favorece a absorção de água e nutrientes.
  • A manutenção é bastante econômica porque as mangueiras não se deterioram tanto quanto na superfície.
  • Se o sistema estiver bem instalado, o terreno pode ser trabalhado sem problemas com o maquinário adequado.
  • A água é economizada se o nível de umidade for controlado.
  • Sondas de umidade do subsolo são essenciais.
Bulbos húmedos en riego enterrado
Esquema de irrigação por gotejamento subterrâneo. Sistema 1-raiz. 2-Bulbo úmido em solo franco-arenoso e argiloso. 3-Ligeira acumulação de sais. 4-Alto acúmulo de sais. 5-Irrigação enterrada. 6-Profundidade de irrigação. 7-Sensores de umidade, temperatura e condutividade.

Desvantagens

  • Não é aconselhável semear, pois a umidade não atinge as sementes. Pode ser combinado com outros métodos se for plantado em terreno com gotejamento enterrado.
  • Também não é aconselhável em plantações jovens que tenham um sistema radicular muito grande quando crescem. Neste caso devemos também combinar os dois sistemas, primeiro a irrigação por gotejamento superficial e posteriormente a irrigação por gotejamento enterrado.
  • É muito difícil saber o grau de umidade se não estiverem instaladas sondas de umidade.
  • É mais complicado manter o sistema porque não é visível. Para evitar possíveis quebras, é muito útil instalar medidores de vazão que nos alertarão sobre possíveis quebras, alertando sobre perdas de água.
  • É difícil de instalar em terrenos rochosos, pois custa mais caro fazer os furos.

Esquema de irrigação em duas fases, primeiro superficial e depois enterrada

Goteo subterráneo
Irrigação por gotejamento superficial quando a planta é jovem e subterrânea quando tem mais sistema radicular.

Como podemos ver no diagrama, quando a planta é jovem ela tem pouco sistema radicular e a irrigação por gotejamento enterrada não é conveniente.

1-Irrigação por gotejamento superficial com bulbo úmido.

2-Sistema radicular jovem.

Tubo de 3 superfícies.

4-Dois bulbos úmidos de dois canos porque o sistema radicular já é maior e um único cano é suficiente.

5-Sistema radicular mais amplo.

6-Dois tubos de superfície.

7-Sistema radicular adulto. Podemos distanciar duas tubulações ou instalar irrigação enterrada.

8-Bolbos úmidos enterrados.

9-Tubos enterrados.

10-Altura dos tubos que depende do tipo de cultivo.

11-Sensores de umidade em plantas jovens.

12-Sonda mais profundamente para detectar umidade e salinidade.

Equipamento PlantaeAgro

Os tipos de culturas que se adaptam à irrigação por gotejamento enterrado são:

  • Hortícola.
  • Amadeirado.
  • Jardinagem e campos desportivos.

Irrigação subterrânea por gotejamento controlada por sondas de umidade, temperatura e condutividade

As sondas de umidade são essenciais na irrigação subterrânea por gotejamento. O controle da água de irrigação torna-se muito difícil porque o bulbo úmido não é visível.

O controlo da água através de sondas ou sensores dá-nos informação em tempo real sobre o nível de humidade do subsolo e permite-nos programar a rega de acordo com as necessidades da cultura.

A medição de condutividade avalia a salinidade acumulada com a vantagem de podermos corrigi-la antes que prejudique a planta.

A temperatura do subsolo nos fornece informações sobre o estado das raízes e ajuda a prevenir doenças.

Lechugas con goteo enterrado
Alface com irrigação por gotejamento enterrado

Na imagem podemos observar um campo intensivo de alface com sulcos muito largos e irrigação gota a gota enterrada com três tubos por sulco e seis filas de alface. A disposição dos tubos não impede o cultivo. As ferramentas de arar e semear possuem dimensões adaptadas à distância entre tubos.

O técnico da Plantae inspeciona a plantação para avaliar a disposição das sondas de umidade e condutividade.

Sonda de humedad en plantación de lechuga con goteo enterrado
Sonda de umidade e temperatura em plantação de alface com gotejamento enterrado.
Sonda de humedad en lechuga con goteo subterráneo
Sonda de umidade e condutividade em alface com gotejamento subterrâneo.
Lechugas con riego controlado por Plantae
Gotejamento enterrado em plantação de alface.

Fontes:

PlantaeAGRO

Você está procurando informações especializadas?

Entre em contato agora gratuitamente e sem compromisso com nossa equipe de Engenharia Agronômica